É mais um reflexo da mudança de hábitos dos condutores nos últimos tempos. A Ferrari não voltará a vender carros com caixa de velocidades manual, para desilusão dos mais puristas.

A garantia foi dada por Michael Hugo Leiters, chefe do departamento de tecnologia da Ferrari, que adiantou que a casa de Maranello vai apostar nas caixas automáticas de dupla embraiagem por motivos que se prendem com as prestações.

"A Ferrari é design, performance e tecnologia da ponta. Não existe nenhuma transmissão manual que consiga bater este desempenho e por isso decidimos continuar com uma caixa de velocidades de dupla embraiagem", afirmou Leiters à publicação "Motoring", durante o Salão Automóvel de Paris.

Uma decisão que contrasta com a decisão da Porsche, por exemplo, que decidiu criar modelos como o 911 R, um modelo que está disponível exclusivamente com caixa manual.

Certo é que a decisão da Ferrari causa enorme surpresa, atendendo à loucura que se vive hoje em dia em torno dos Ferrari mais modernos com caixa manual, com colecionadores dispostos a pagar somas estratosféricas para ficar com um dos últimos exemplares equipados com transmissão deste tipo.

Por exemplo, um California com caixa manual foi recentemente arrematado em leilão por nada menos que 393.000 euros, um valor que multiplica por quatro o preço médio dos California automáticos no mercado de usados.

O último modelo da Ferrari com caixa manual foi precisamente o California, quando foi substituído pelo California T, em 2014.

Veja ainda:

A loucura da Honda: uma caixa de 11 velocidades e três embraiagens