A Porsche quer travar a especulação em torno das suas edições especiais, como o 911 R. Todos os 911 exemplares produzidos, cada um disponível por 240 mil euros, foram vendidos no espaço de dias, e poucos meses depois o seu valor triplicou, com alguns a superarem os 700 mil euros.

Para travar esta tendência, que se estende a todas as marcas de carros desportivos, a Porsche vai criar uma “lista negra” para evitar que as suas edições especiais cheguem às mãos dos “especuladores”.

“Vamos acompanhar de perto os que vendem carros. Não fabricamos muitos carros e conhecemos bem a maioria dos nossos clientes”, afirmou Andreas Preuninger, responsável pelo desenvolvimento dos GT da Porsche.

Esta é uma prática corrente, quase tanto como os que adquirem os carros para os abandonar numa garagem. “Pessoalmente, gosto que os nossos carros sejam utilizados. É para isso que os fabricamos. São demasiado bons para os deixar parados a apanhar pó”, frisou.

“Não gosto deste negócio de pessoas que compram os nossos carros para ganhar dinheiro com eles. Essa nunca foi a nossa intenção. O objetivo de limitar a produção de um modelo não é para que ganhe valor”, continuou Preuninger.

Embora saibam que é difícil evitar que um dos seus modelos acabe nas mãos de um especulador, a partir de agora a Porsche vai investigar detalhadamento os seus compradores e se encontrarem um indício que os leve a pensar que estão a fazer dinheiro com um de seus produtos automaticamente perdem prioridade para continuar a comprar.

“É complicado evitar que alguém compre um carro para ganhar dinheiro, mas de futuro esse cliente terá maior dificuldade para adquirir um dos nossos modelos de edição limitada”, explicou. “Se especulas com os carros, então é lógico que não estarás na lista para o próximo carro, se a procura superar a produção”, acrescentou.

Preuninger acredita que só assim estará a fazer bem as coisas. “Não é um castigo, mas uma estratégia: entregar os carros aos clientes que realmente o vão usar. Acho que é o mais justo”, concluiu.