Lisboa acolhe no próximo sábado uma exposição de ilustração e banda desenhada que cabe em sete pequenas caixas de fósforos, mas a sua qualidade não se mede pelo tamanho.

A mostra colectiva intitulada «O último fósforo» vai estar patente na galeria Artside, e reúne obras de 175 artistas portugueses e estrangeiros, feitas num formato muito, muito pequeno. Tão pequeno que cabe no interior de uma caixa de fósforos.

A mostra é organizada pelo Centro de Arte Contemporânea da Letónia, tem percorrido várias cidades. Lisboa é a primeira a acolher a mostra em 2010 em colaboração da associação Chili Com Carne.

«A temática é sempre à volta do fósforo, mas há artistas que divagam um bocadinho», explicou Daniel Makosch, da galeria Artside, em Santos, à agência Lusa.

Os ilustradores têm apenas cinco por três centímetros de papel em branco para criar uma história, desenhar um retrato, uma caricatura, uma ilustração em torno da ideia do fogo de um fósforo.

Entre os artistas convidados contam-se Mike Diana, Jeffrey Brown, Roberta Gregory, Daisuke Ichiba e também autores portugueses como Pedro Zamith, João Maia Pinto, Catarina Aguiar, Luís Henriques, André Lemos e Filipe Abranches.