A bolsa portuguesa afundou nesta sessão de quinta-feira 3,3%, com os atuais 18 títulos no ‘vermelho’, num movimento de sell-off que atingiu toda a Europa, despoletado pelo discurso do presidente do Banco Central Europeu (BCE) que não conseguiu convencer os mercados de que as atuais medidas não são suficientes para relançar a economia.

A Portugal Telecom liderou as quedas percentuais no índice, tendo afundado 6,04% para 1,541 euros, seguindo o tombo de 7,5% da brasileira Oi, com quem está em processo de fusão.

Destaque ainda para a queda de 5,9% da Mota-Engil em 4,668 euros e para as desvalorizações superiores a 4% do BPI, da Galp Energia e EDP.

«A banca é um dos sectores mais sensíveis ao BCE e ficou claramente desapontada com aquilo que Draghi nao disse, ou seja, o mercado esperava que o programa de compras fosse alargado a outros ativos, como a dívida pública, o que acabou por não acontecer», explicou Albino Oliveira, analista da Fincor, citado pela Reuters.

O mesmo analista realçou que, «como o BPI já estava a cair mais que os outros durante a manhã, quando o mercado acentuou a queda, o BPI quebrou mais, para além de que foi o banco que mais subiu nas últimas semanas, desde que foi noticiado que teria interesse em comprar o Novo Banco».

Por sua vez, as energéticas foram ainda pressionadas pela notícia de que o Governo aprovou o substancial alargamento das tarifas sociais de eletricidade para 500 mil consumidores, reforçando o desconto para 34% face aos atuais 20%.

No mercado de dívida soberana, os juros das Obrigações do Tesouro de Portugal a 10 anos seguem estáveis nos 3,09%, contrariando o movimento de subida das periféricas europeias.

Discurso de Draghi afunda Europa

A desilusão causada pelo discurso de Mario Draghi, que não conseguiu convencer os investidores de que as atuais medidas são suficientes para travar o abrandamento das economias europeias, atirou os principais mercados acionistas para quedas de até 3,92% em Milão.

Mario Draghi reafirmou que o banco central está preparado para recorrer a medidas não convencionais para conter os riscos de deflação, mas não deu qualquer pista sobre um eventual programa de compra de dívida soberana, amplamente esperado pelos mercados.

Nos EUA, o Dow Jones cai 0,62% e o Nasdaq recua 1%.