Sites com livros ao preço da chuva

Licitar, comprar, vender e até oferecer manuais escolares. Moda do regresso às aulas 2011 ditada pela crise

Por: Redação / SC    |   16 de Setembro de 2011 às 14:32
Este ano, os manuais escolares podem não ser tão caros quanto se pensa. Basta que compre, venda ou troque.

Sites como CustoJusto,Miau, Grandemercado e OLX, incitam os portugueses a vender e comprar manuais escolares, na grande maioria, usados.

Em destaque, nos sites, estão slogans como este: «Regresso às aulas! Compre livros usados e ensine o seu filho a poupar», lê-se no CustoJusto.



À medida de cada carteira

Do primeiro ano de escolaridade a manuais do ensino superior, de livros a partir de 50 cêntimos, a lotes no valor de 300 euros, passando por trocas, pedidos de doação, ofertas e até a possibilidade de regatear valores - há de tudo.

O CustoJusto.pt aposta em grande na publicidade e o retorno parece rico. Mais de 2.300 anúncios de manuais escolares é o resultado da aposta por parte da empresa de

anúncios gratuitos online.

No site Miau.pt encontra uma sala de leilões, que soma mais de 500 anúncios de compra, venda e troca de livros escolares, muitos com base de licitação de apenas 50

cêntimos. A secção Pechinchas facilita a procura, quando se pretende gastar o mínimo possível, e é aí que estão os anúncios líderes de audiência.

Grandemercado.pt aconselha a optar por livros usados, mais baratos e a oferta traduz-se em mais de 400 anúncios disponíveis.

Pode ainda consultar o OLX.pt. Este último site não deu primazia à nova onda, mas os anúncios estão lá - e as oportunidades também.

No regresso às aulas 2011, a moda nos sites de compra e venda online está em negociar manuais. A crise não deixa alternativa.

Nestes espaços online, pode encontrar de tudo e todos os valores, sem precisar de desconfiar.

Há quem venda pornecessidade, há quem ofereça por solidariedade. Há quem queira despachar lotes de

20 livros, há quem venda apenas um, por preço de oferta.

Uma coisa é certa: para as famílias que pretendem poupar alguns euros, a solução poderá passar por um destes sites de anúncios gratuitos.
Partilhar
EM BAIXO: Livros (arquivo)
Livros (arquivo)
COMENTÁRIOS

PUB
Governo garante: «Não haverá medidas excecionais» este ano

Secretário de Estado Adjunto e do Orçamento, Hélder Reis, reiterou esta terça-feira que a meta do défice orçamental acordada com os credores internacionais, de 4% do PIB no final de 2014, se mantém. Objetivo será alcançado sem recurso a mais penalizações para o bolso dos portugueses