A Rainha Isabel II inaugurou a exposição Era da Informação no Museu da Ciência, em Londres, e aproveitou a ocasião para publicar o seu primeiro tweet.

Na publicação lê-se: «É um prazer inaugurar a exposição Era da Informação hoje no @MuseudaCiência e espero que as pessoas se divirtam a visitá-lo. Elizabeth R.»

 

A exposição patente em Londres é um dos projetos mais ambiciosos do museu, tendo sido cuidadosamente planeada nos últimos três anos, de modo a oferecer  aos visitantes uma verdadeira viagem pela história das comunicações modernas, desde o telégrafo aos smartphones.

De um passado menos recente, mas fulcral para o desenvolvimento das novas comunicações, o museu traz-nos artefactos como o primeiro telégrafo transatlântico, que conectava a Europa à América do Norte, o equipamento de difusão utilizado no primeiro programa de rádio da BBC em 1922, e o computador NeXT concebido por Tim Berners-Lee, que marcou a história ao albergar o primeiro website.

A exposição, inaugurada esta sexta-feira, presenteia ainda os visitantes com várias experiências interativas como a construção de uma linha telefónica dos anos 80 para telemóveis, e a verificação do posicionamento de torres de telefonia móvel.

O curador-chefe da galeria, Tilly Blyth, procurou proporcionar uma visão extensiva da revolução digital, de modo a permitir que os visitantes aprofundem experiências quotidianas, como carregar num link, mas de forma a entender exatamente o que acontece quando o fazem.

Martha Lane Fox, uma forte apologista da melhoria de acesso ao entendimento da Internet já felicitou a nova exposição, «É uma oportunidade incrível para os jovens e idosos assistir os extraordinários desenvolvimentos tecnológicos dos últimos cem anos», e acrescentou que «Funciona realmente como um lembrete da escala e ambição que as pessoas tiveram para mudar as coisas.»

Outro foco da exposição é mostrar o papel desempenhado pelo Reino Unido nestes desenvolvimentos, como a contribuição de Ada Lovelace, que em 1830 formulou a ideia da programação computacional, e o primeiro negócio de computadores introduzido nos anos 50 pela Lyons Corner Houses.