Apresentado pela primeira vez em Junho de 1988, este modelo de 5 portas partilhava alguma tecnologia com o coupé desportivo 480 e veio demonstrar a direção que a Volvo viria a tomar com os seus modelos de tração dianteira.

O trabalho de desenvolvimento do modelo que mais tarde viria a constituir o Volvo 440 iniciou-se 10 anos antes num projeto que a Volvo denominaria de Galaxy. Neste projeto, a marca pretendia demonstrar a sua direção e ambição futura.

Em Setembro de 1980, estava pronto o primeiro protótipo com tração dianteira. Em termos de aparência assemelhava-se muito ao que viria a ser o Volvo 440. O G4, denominação que foi dada a este protótipo, tinha as características que a Volvo queria: tração dianteira, divertido de conduzir, bom espaço interior e dimensões externas compactas.

O projeto Galaxy culminaria com o lançamento de duas series. Os modelos 850, cuja apresentação decorreu no Verão de 1991, tiveram um grande impacto, mas a gama 400 foi apresentada alguns anos antes. Em 1992, parte do projeto seria assumido por subsidiárias holandesas da Volvo, e seria mesmo nesse pais que o trabalho seguinte iria decorrer.

O primeiro dos novos modelos da Volvo com tração dianteira foi o 480 sports coupé, que foi oficialmente apresentado no Salão Internacional de Genebra em 1986. Este automóvel, para um nicho de mercado, preparava o caminho para o 440, modelo que foi apresentado dois anos mais tarde e que constituiria um enorme sucesso no segmento da gama média.

O Volvo 440 era um automóvel moderno com lugares traseiros muito práticos, capazes de se dividirem em duas secções. O painel de instrumentos estava colocado de frente para o condutor fazendo com que o acesso aos comandos estivesse mais facilitado. Com linhas suaves e baixas, e janelas laterais quase verticais este modelo tinha algumas ligações à gama 700.

A linha de motores era toda de 4 cilindros e incluía versões de 1.6 litros, 2.0 litros e uma versão 1.7 litros turbo. Como sempre, a segurança constituía uma prioridade e o ABS, estava disponível como opcional em 1989. Os pré-tensores dos cintos de segurança e os airbags eram opcionais do modelo de 1991 em diante e o sistema de proteção de impactos laterais da Volvo – SIPS – foi introduzido em 1994.

Este automóvel era produzido em Born, na Holanda, local onde também foram produzidos os modelos 340/360 e 480. O próximo modelo da série 400 – o modelo 460, com mais 10 centímetros que o 440  – foi apresentado em 1989.

A produção do Volvo 440 foi descontinuada em Novembro de 1996. Os seus sucessores seriam os modelos S40 e V40, que já se encontravam em produção paralela.

Curiosidades sobre o Volvo 440:

O Volvo 440 teve uma versão disponível para as forças policiais. Em alguns países, como a Holanda essa versão foi utilizada como carro patrulha da polícia nacional e regional.

A gama 400 nunca chegou a ter uma versão carrinha, no entanto, duas empresas externas de design chegaram a apresentar as suas propostas - a empresa americana ASC Detroit e a empresa francesa Heuliez que chegou mesmo a criar um protótipo o qual faz parte hoje em dia do Museu da Volvo.

O design do Volvo 440 é da autoria do designer Peter van Kuilenburg, que trabalhava no departamento de design da Volvo Car B.V. No entanto, tem como base o protótipo G4 cujo designer foi Jan Wilsgaard.

Uma empresa holandesa chegou a disponibilizar um kit para conversão em carrinha. A porta traseira era removida e substituída por um teto, janelas laterais e tampas da mala feitas de fibra de vidro. A Volvo não estava envolvida nem sequer chegou a dar autorização para esta conversão.

Uma versão de rally competiu em 1992. Esta versão incluia um motor de 2.3 litros, 16 válvulas e 715 cv. Este modelo tinha tração às quatro rodas motrizes.

O modelo 440 Turbo trazia um computador de bordo de série. Nele era possível visualizar o consumo de combustível, a velocidade média, a temperatura do óleo, de refrigeração e exterior. Sempre que a ignição era ligada o display mostrava “OK" se o nível de óleo estivesse correto.

A partir de 1 de Dezembro de 1991, a Volvo Car B.V. parou a produção da série 400 tendo a mesma sido transferida para a NedCar B.V. Esta nova empresa era detida pelo estado holandês, Volvo Personvagnar AB and Mitsubishi Motors.

O LCP 2000 foi um antecessor da serie 400. Apresentado na Primavera de 1983, o "Light Component Project" era um protótipo de um automóvel que utilizava vários materiais leves e tinha tração dianteira, com um motor transversal.