Os cinco diários generalistas portugueses venderam no ano passado mais 20 mil exemplares por dia do que em 2007, tendo todos os títulos registado crescimentos, segundo o relatório do organismo que controla a circulação da imprensa, divulgado esta quinta-feira.

Controlinveste «salva» quatro do despedimento

De acordo com a Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragens e Circulação (APCT), todos os diários generalistas melhoraram as suas vendas, com o DN e o JN a protagonizarem as maiores subidas, diz a Lusa.

No total, os cinco jornais - Diário de Notícias, Jornal de Notícias, Correio da Manhã, Público e 24 Horas - venderam mais 5,7 por cento em 2008, somando quase 340 mil unidades por edição.

DN e JN protagonizam maior subida

Os maiores crescimentos foram registados pelo Diário de Notícias e pelo Jornal de Notícias, que aumentaram as suas vendas em mais de 10 por cento em relação a 2007, o que não os impediu de serem incluídos no processo de despedimentos que o grupo Controlinveste desencadeou no início deste ano.

Controlinveste despede 122 colaboradores

Segundo o relatório da APCT, o Diário de Notícias passou de vendas de 36.237 exemplares em 2007 para quase 40 mil no ano passado, ou seja, mais 10,4 por cento.

Em termos absolutos, a maior subida foi do Jornal de Notícias, que vendeu, em média, mais 10 mil exemplares diários no ano passado, voltando a ultrapassar a fasquia das 100 mil unidades diárias.

Correio da Manhã é o mais vendido em Portugal

Com uma subida de vendas de 10,2 por cento, o JN passou para uma média de 101.206 exemplares, aproximando-se do líder Correio da Manhã, detido pela Cofina.

Apesar de todos terem aumentado a sua circulação paga (vendas em banca e assinaturas), o Correio da Manhã manteve-se como o diário mais vendido em Portugal, aumentando em 2,6 por cento o número de exemplares comprados por dia e passando para os 118.353.

No terceiro lugar entre os mais vendidos ficou o Público, que protagonizou a menor subida, 1,4 por cento, tendo vendido em 2008 uma média de 42.346 jornais por dia.

Com um aumento de 4,3 por cento, o 24 Horas - outro dos títulos da Controlinveste - vendeu no ano passado uma média de 37.327 exemplares diários.