Jerónimo de Sousa afirmou, esta sexta-feira, depois de ser ouvido por Cavaco Silva, que acredita que "estão criadas condições para que o Presidente da República" indigite António Costa como primeiro-ministro.

"Estão criadas as condições políticas e institucionais para que o Presidente da República dê posse ao governo do PS, que tem condições para apresentar o seu programa na Assembleia da República e entrar em funções adotando uma política com uma solução duradoura na perspetiva da legislatura".


O secretário-geral do PCP afirmou ainda que o PS poderá apresentar o seu programa e entrar em funções “na perspetiva de uma solução duradoura”, enquanto o programa da coligação PSD/CDS-PP “não oferecia condições de governabilidade, de estabilidade e de durabilidade”.
 

“Existem condições diferentes para que o PS avance, forme Governo e entre em funções”.


Jerónimo de Sousa não quis esclarecer se Cavaco Silva tinha pedido mais garantias ao PCP, durante a reunião, nomeadamente no que diz respeito aos compromissos europeus. Disse apenas sentir-se quase “tentado a dizer que não”.
 

“Quase seria tentado a dizer que não, mas como sabe dentro dos compromissos formais que existem solicito que perguntem ao senhor Presidente da República, porque ele é que pode falar por ele”.


O encontro de Jerónimo de Sousa com o Presidente da República teve lugar esta tarde, depois de Cavaco Silva ter ouvido o PSD, o PS, o BE e o CDS-PP. O líder de Estado irá ainda reunir-se com Os Verdes e o PAN.