A economia japonesa caiu numa recessão depois de uma contração entre julho e setembro, segundo dados oficiais revelados esta segunda-feira, tornando quase inevitável que o primeiro-ministro Shinzo Abe suspenda o plano de aumento de impostos e avance para eleições antecipadas, segundo a Lusa.

O produto interno bruto do país diminuiu 0,4%, ou a uma taxa anual de 1,6%, evidenciando como um aumento dos impostos em abril refreou o crescimento e representando um forte golpe para o primeiro-ministro, que se comprometeu a elevar a economia nacional.

Estes valores aumentam a probabilidade que Abe, que se espera que convoque eleições antecipadas no próximo mês, atrase o plano para aumentar o imposto sobre o consumo para 10% no próximo ano.

A subida de 5% para 8% do imposto no início deste ano terá travado o crescimento, diz a AFP.