Com os acontecimentos dos últimos anos, a transparência nas empresas e entre quem as gere, ganhou uma nova importância. Há 28 anos que a Deloitte distingue as empresas e gestores com as melhores práticas. Uma escolha cada vez mais difícil, mas não pelas razões que se poderia pensar à primeira vista.

 

“Nos anos mais recentes, a qualidade da informação financeira dos relatórios e contas tem evoluído de forma notável e isso torna cada vez mais difícil o trabalho do júri. As empresas tendem a nivelar por cima, pela qualidade”, afirmou Alves Monteiro, presidente do júri, num debate na TVI24.

Entre os premiados dos últimos anos esteve Zeinal Bava, considerado o melhor gestor em 2012 e 2013, e Ricardo Salgado, que recebeu o prémio carreira em 2012.

 

“A tomada de decisão baseia-se na informação disponível em cada momento. Naquela altura, aquela era a melhor decisão, tendo em conta a informação disponível”, explicou Carlos Cruz, da Deloitte, também no TVI24.

Este ano, pela primeira vez, a Deloitte vai distinguir também empresas não cotadas em bolsa mas cuja gestão é considerada exemplo de excelência.

 

Os vencedores são conhecidos esta quinta-feira à noite e este ano, também pela primeira vez, a TVI é parceira da Deloitte. Por isso, a ocasião será marcada com uma emissão especial na TVI24 a partir das 22 horas.