O ministro da Economia disse esta terça-feira que tem «um sentimento», pela sua proximidade às empresas e aos empresários, de que a economia portuguesa pode crescer mais em 2014 do que as previsões feitas para o Orçamento de Estado.

«Como tenho estado muito próximo das empresa e dos empresários, tenho um sentimento - que não está baseado em nenhum modelo - que em 2014 a economia portuguesa vai crescer. E é possível que cresça mais do que a previsão que foi feita quando apresentámos o Orçamento do Estado», afirmou aos jornalistas portugueses, em Madrid.

Pires de Lima falava durante a visita que efetuou à Feira Internacional de Turismo (FITUR), em Madrid, no segundo dia do roadshow [apresentação] que tem em curso na capital espanhola.

O ministro insistiu que «não há previsões nenhumas» e «não há nenhuma ansiedade por parte do Governo e do Ministério da Economia em rever as previsões» feitas em outubro.

Ainda assim, em declarações à Bloomberg, publicadas hoje, Pires de Lima disse que «no final pode ser possível crescer mais do que 1%».

Aos jornalistas portugueses argumentou que «não são as previsões que transformam a economia», mas sim a «atividade das empresas e dos empresários».

«A economia e os portugueses não vivem de modelos e previsões. Vivem fundamentalmente em termos de esperança e confiança, daquilo que se passa na economia real, nas empresas, na capacidade que as empresas estão a demonstrar», disse.

«E é essa a base da confiança que tenho demonstrado na economia portuguesa», sublinhou.