O Gabinete de Apoio ao Emigrante vai «auxiliar quem esteve emigrado e quem quer emigrar», prometeu o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas que revelou que existem no estrangeiro 120 mil empresas de portugueses.

«Noventa por cento dos emigrantes portugueses que regressam a Portugal voltam para a freguesia de onde partiram», referiu, em Vila Nova de Famalicão, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, ao inaugurar, em Famalicão, o Gabinete de Apoio ao Emigrante (GAE), um serviço que está a ser implantado em todo o País, escreve a Lusa.

«O Gabinete destina-se a prestar auxílio diverso aos munícipes que estiveram emigrados, aos que estão em vias de regresso, aos que residem ainda no país de acolhimento e aqueles que desejam emigrar», frisou o secretário de Estado.

O investimento financeiro em Portugal ou no país de acolhimento é outra das preocupações do GAE. «120 mil empresas existentes em países estrangeiros são propriedade de cidadãos portugueses», referiu António Braga.

«Quando for altura de voltarem a Portugal, tem que haver técnicos capazes de ajudar esses empresários», finalizou o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.