O Tribunal Constitucional espanhol declarou inconstitucional a consulta sobre a independência da Catalunha, realizada em novembro. A decisão foi tomada por unanimidade esta quarta-feira, escreve o «El País»

A Justiça espanhola também declarou inconstitucional a utilização do decreto que o presidente catalão, Artur Mas, invocou para convocar a votação. 

Esta decisão surge depois de o Constitucional ter admitido um recurso do Governo espanhol contra a consulta a 4 de novembro, o que suspendeu a votação.

Mesmo depois da suspensão, a 9 de novembro quase dois milhões de catalães foram às urnas e 81% disse «sim» à independência numa votação simbólica que ficou conhecida como 9N.

Artur Mas considerou a jornada de participação um «êxito total», um dia «inesquecível na história da Catalunha»  para decidir o seu futuro. 

Pelo contrário, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, afirmou, na altura, que a consulta era «um fracasso» para os independentistas e repetiu que não ia aceitar a «consulta definitiva» exigida pelo presidente do governo regional catalão.