Um leão que fugiu de uma jaula do Jardim Zoológico de Leipzig, na Alemanha, teve de ser abatido, depois de os funcionários terem disparado um dardo tranquilizante e este não ter surtido efeito. A notícia foi confirmada pelo próprio zoo alemão.

Tudo aconteceu na quinta-feira de manhã. Dois leões, irmãos, fugiram da jaula, antes de o parque abrir ao público. Os animais, chamados Majo e Motshegetsi, conseguiram passar para as zonas principais do jardim.

Os funcionários ativaram um plano de emergência. Cerca de 40 trabalhadores, em vários veículos, cercaram os animais.

Ao fim de três horas, Majo foi encurralado e voltou para a jaula, mas Motshegetsi continuou agitado. Os funcionários dispararam um dardo tranquilizante para acalmar o animal.

“Depois de o Majo ter sido capturado, o Motshegetsi foi atingido com um dardo tranquilizante. Esperávamos que tudo pudesse terminar sem mortes”, explicou o diretor do Jardim Zoológico, Joerg Junhold, em declarações aos jornalistas.

Só que o dardo não fez efeito. Os funcionários reconheceram que tinham perdido o controlo da situação e decidiram abater o animal.

“É um desfecho muito, muito triste que realmente não queríamos. Mas não tínhamos escolha. Neste caso tínhamos que estabelecer prioridades”, vincou Joerg Junhold.

Os dois animais tinham 15 meses e estavam neste zoo há apenas um mês, depois de terem sido transferidos de um parque em Basileia, Suíça.