O partido no poder no Zimbabué destituiu este domingo Robert Mugabe como líder da União Nacional Africana do Zimbabué - Frente Patriótica (ZANU-PF), noticiou a agência de notícias Reuters. 

O Comité Central da ZANU-PF, que se reuniu hoje de urgência para analisar a crise político-militar zimbabueana, decidiu também nomear como novo líder o antigo vice-Presidente do Zimbabué Emmerson Mnangagwa, afastado do cargo há duas semanas por Robert Mugabe.

Várias fontes confirmaram também à agência de notícias que Grace Mugabe também foi expulsa do partido, depois de da influente Liga dos Jovens da ZANU-PF ter pedido a Robert Mugabe que se demita do cargo de Presidente e exigidp a “expulsão” de Grace Mugabe do partido no poder no Zimbabué desde a independência, em 1980. 

 A União Nacional Africana do Zimbabué – Frente Patriótica (Zanu-PF) apresentou Emmerson Mnangagwa como candidato às eleições presidenciais de 2018. O agora presidente do partido já declarou que começou o processo para a destituição de Mugabe da presidência do Zimbabué. 

Na noite de terça para quarta-feira, o Exército assumiu o controlo do Zimbabué apoiando Emmerson Mnangagwa, o vice-Presidente demitido na última semana pelo chefe de Estado na sequência de uma intensa campanha da mulher, Grace Mugabe.

Na quinta-feira foram iniciadas negociações entre o Exército e o presidente, que até ao momento não cedeu.

Na sexta-feira, o Exército publicou um comunicado onde afirmava "apoiar plenamente" as manifestações anti-Mugabe, com a condição de permanecerem pacíficas.

Este sábado de manhã, milhares de pessoas desfilaram, num ambiente eufórico, na capital e nos arredores, saudando a intervenção desta semana dos militares contra o presidente, que tem 93 anos.