A Organização Mundial de Saúde (OMS) aumentou de oito semanas para seis meses o período para abstinência ou sexo protegido para todas as pessoas, mulheres e homens, que regressem de países onde o vírus do Zika está ativo.

Esta recomendação dirige-se a todas as pessoas, quer tenham ou não sintomas, e não apenas aos casais que estejam a pensar conceber um filho, especificou a organização, em comunicado.

A OMS recomenda a prática de sexo seguro ou abstinência por um período de seis meses para homens e mulheres que regressem de áreas de transmissão ativa para prevenir a infeção pelo vírus do Zika por via sexual”, declarou a agência.

Também nesta terça-feira foi conhecida uma investigação que dá conta que o vírus do Zika pode viver nos olhos e transmitir-se através das lágrimas, segundo estudos realizados em ratos que podem explicar por que alguns pacientes desenvolvem doenças oculares, que em alguns casos causam cegueira.

O estudo, publicado na revista americana Cell Reports, incidiu sobre os efeitos da infeção do vírus nos olhos de ratos em fetos, recém-nascidos e adultos.

“O nosso estudo sugere que o olho pode ser um reservatório do vírus do Zika”, disse Michael Diamond, professor na universidade de Washington, em St. Louis.