Aquele que foi um dos homens mais poderosos do aparelho de Estado chinês foi condenado a prisão perpétua. Zhou Yongkang, ex-responsável pela segurança interna, foi considerado culpado de corrupção, suborno, abuso de poder e revelação de segredos de Estado.
 
“Submeto-me ao verdito do tribunal e não recorro”, disse em tribunal, segundo revelou a televisão estatal. “Reconheço os factos da minha violação da lei, que causou grandes perdas para o partido”.
 
Zhou Yongkang, 72 anos, foi até 2012, quando se retirou da direção da segurança interna, um dos homens mais poderosos do país. É agora a mais alta figura condenada por corrupção desde a chegada do Partido Comunista ao poder, em 1949.
 
A investigação de foi alvo faz parte de uma campanha de combate a este crime, promovida pelo presidente chinês, Xi Jinpig. Yongkang foi acusado formalmente em abril e julgado, de forma secreta, a 22 de maio, na cidade de Tianjin.
 
Os crimes de que foi acusado terão decorrido ao longo de décadas.