O ministro do Interior e Comunicação japonês, Yoshitaka Shindo, visitou o controverso santuário Yasukini, em Tóquio, numa atitude suscetível de causar a ira da China e Coreia do Sul, que o consideram um símbolo do passado militarista do Japão.

A visita ao templo foi reportada este sábado pela agência Jiji Press e o jornal Yomuri Shimbun.

A China e a Coreia do Sul veem em Yasukini uma lembrança do imperialismo japonês e das agressões do Japão durante a guerra, assim como um sinal da falta de arrependimento pelo seu passado.