O ex-ministro das Finanças grego Yorgos Papakonstantinu foi condenado a um ano de prisão com pena suspensa, por falsificação de documentos no âmbito da denominada «lista Lagarde», mas foi absolvido da acusação de prejuízos ao Estado.

O fisco tinha pedido uma pena por ambos os delitos sem atenuantes, o que poderia resultar em prisão perpétua.

Os juízes optaram por condená-lo por delito menor, em vez de grave, o que permite deixar a pena suspensa.