O Presidente da República timorense já aceitou o pedido de demissão do primeiro-ministro, Xanana Gusmão. O primeiro-ministro cessante de Timor-Leste escolheu Rui Araújo como seu sucessor no cargo e explicou porquê numa carta enviada aos partidos que compõem a coligação no poder. 

O «conhecimento profundo do sistema financeiro» e «experiência integral~« do modelo de capacitação dos quadros técnicos são qualidades apontadas por Xanana para justificar a sua escolha. 

Estão sublinhadas na carta que o chefe do Governo enviou aos três partidos que integram a coligação pós-eleitoral que apoia o Governo - Congresso Nacional da Resistência Timorense (CNRT), Partido Democrático (PD) e Frente Mudança (FM) - e a que a agência Lusa teve acesso.

«Reitero que a minha escolha recai sobre o sr Rui Araújo para o cargo de primeiro-ministro, no VI Governo Constitucional», refere na carta.

O processo de constituição do novo Governo deve estar terminado no final desta semana.

No comunicado divulgado ao início da tarde de domingo na sua página oficial na internet, a Presidência da República revela que «depois da reunião do Conselho de Estado», o Presidente «Taur Matan Ruak informa que aceitou o pedido de demissão do Primeiro-Ministro, apresentado no passado dia 5 de fevereiro».

«A demissão do Primeiro-Ministro tem como consequência a demissão do Governo, nos termos da Constituição», conclui.