Pelo menos 29 pessoas morreram nas Fiji e mais de 13 mil encontram-se em centros de abrigo após a passagem do ciclone Winston, informaram hoje os meios de comunicação social locais.

“O número [de vítimas mortais] deverá subir, mas acreditamos que o aumento será pequeno”, disse a porta-voz do Governo das Fiji Ewan Perrin, em declarações à Radio New Zeland.

O envio de assistência médica e de alimentos de primeira necessidade intensificou-se numa altura em que também se duplicam esforços com vista ao reabastecimento de energia elétrica, água e comunicações.

Considerado o mais forte ciclone naquela região, o Winston chegou no sábado às Fiji com ventos de 230 quilómetros por hora e rajadas de 325.