As autoridades do Paquistão anunciaram, esta terça-feira, que 21 pessoas morreram em ataques aéreos e em operações no terreno na região fronteiriça do noroeste do país, onde decorre uma ofensiva para 'limpar' redutos dos talibãs.

Um porta-voz militar afirmou que os ataques começaram na noite de segunda-feira e continuavam hoje no Waziristão do Norte, uma zona tribal que faz fronteira com o Afeganistão, que escapa ao completo controlo da Administração, pelo que serve de refúgio a membros da Al-Qaeda e a fações ‘jihadistas’ paquistanesas e afegãs.

 

 

“21 terroristas foram mortos na última noite, e as operações continuam. Montanhas e caminhos importantes junto à fronteira do Paquistão com o Afeganistão são agora seguras. A limpeza do vale continua”, escreveu o porta-voz militar, Assim Bajwa, no Twitter.

 

Como escreve a AFP, com esta nova ofensiva, as autoridades paquistanesas já mataram 3.750 terroristas, desde que esta operação começou, em 2014, sem causar quaisquer vítimas civis.

Uma vez que os jornalistas não têm acesso ao local, não foi possível confirmar quantas pessoas morreram nos ataques, ou se eram, de facto, jihadistas.