Wang Jian, presidente e cofundador do grupo chinês HNA, acionistas da TAP através do consórcio Atlantic Gateway, morreu após uma queda, quando tentava tirar uma fotografia numa aldeia francesa, confirmaram hoje as autoridades francesas.

Wang "caiu de um parapeito, para onde subiu para tirar uma foto", confirmou a polícia francesa, depois de o grupo chinês ter anunciado a morte do empresário.

O incidente ocorreu na aldeia de Bonnieux, sul de França.

O empresário de 57 anos foi uma das figuras-chave na expansão do HNA, um dos maiores grupos privados chineses e um dos principais visados das advertências das autoridades chinesas sobre "investimentos irracionais" no estrangeiro, que podem "acarretar riscos" para o sistema financeiro do país.

Em Portugal, a empresa detém uma participação na Atlantic Gateway, consórcio que detém 45% da TAP.

Uma das suas subsidiárias, a Capital Airlines, inaugurou em julho de 2017 o primeiro voo direto entre a China e Portugal.

O grupo tem ainda importantes participações em firmas como Swissport ou Deutsche Bank.

A morte de Wang surge numa altura em que a empresa se está a desfazer de ativos, visando resolver os seus problemas de liquidez e altos custos de financiamento.

Só este ano, o HNA vendeu mais de 14 mil milhões de dólares (12 mil milhões de euros) em ativos.

Com uma participação de cerca de 15%, Wang era um dos maiores acionistas do grupo. O outro cofundador, Chen Feng, também detém 15% da empresa.