A tecnologia usada nas eleições brasileiras sofreu vários problemas ao longo do dia eleitoral. As falhas no inovador sistema biométrico de votação levou a atrasos na contabilização dos votos. No entanto, segundo, o secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral, Giuseppe Janino, citado pela Globo, isso não vai atrasar a divulgação dos resultados.

Numa conferência de imprensa, o Tribunal Superior Eleitoral informou também que, até as 14h10 (18:10 em Lisboa), foram substituídas 3.122 urnas eletrónicas com defeito e que, por causa dessas falhas, pelo menos duas localidades tiveram de proceder, à última horas, ao processo de eleição manual. De referir, segundo os dados avançados por este organismo, que as urnas com defeito representam 0,72% do total em votação.

Segundo os media brasileiros, a uma hora do fecho da votação o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) já registava quase o dobro de urnas eletrónicas substituídas naquele estado em relação a 2010, ou seja, 404 aparelhos com problemas. Nas últimas presidenciais, houve problemas em 171 urnas eletrónicas.