Um casal e os seus três filhos asseguram que foram expulsos de um avião da companhia aérea JetBlue, alegadamente por causa de um bebé de um ano. O caso já aconteceu no final do mês de junho, mas só agora foi tornada pública. 

Tamir Raanan e Mandy Ifrah viajavam com os três fihos de Fort Lauderdale, na Flórida, para Nova Iorque. Nos momentos que antecederam a descolagem, a passageira que estava sentada no banco da frente queixou-se do comportamento do bebé de um ano, que estava sentada ao colo da mãe. A criança terá pontapeado as costas do banco e a mulher, incomodada, mudou de lugar e pediu a Mandy que "atasse os pés" do filho. 

Depois da pequena discussão que se gerou, o avião preparou-se para descolar, mas, momentos depois, o aparelho regressou ao hangar e um responsável da companhia aérea aproximou-se deles e convidou-os a sair do avião. 

A família recusou sair do aparelho e gravou o momento, que, na sua opinião, foi “ridículo”.

Mais tarde, já fora do avião, a família exigiu explicações ao responsável da companhia aérea, que se recusou a apresentar as razões por ter convidado os cinco a abandonar o voo e lhes garantiu que iriam ser ressarcidos do valor dos bilhetes. 

Companhia aérea com versão diferente

A JetBlue apresenta uma história diferente daquela que é contada pela família. A companhia aérea disse que os pais da criança fizeram ameaças físicas e disseram palavrões ao passageiro que se queixou. Foi esta atitude que levou o piloto a tomar a decisão de os expulsar do avião.

A porta do avião foi reaberta e a nossa equipa do aeroporto pediu, educadamente, aos clientes para resolverem a situação”, disseu ao jornal NY Post um porta-voz da JetBlue.

Como a situação não ficou resolvida, foi aplicada uma lei que permitia colocar a família “para fora do avião e nós providenciamos um reembolso”, explicou o porta-voz.

A família foi reembolsada com 500 dólares (cerca de 434 euros), porém dizem ter gasto 2.000 dólares (cerca de 1.738 euros) a comprar novos bilhetes para viajar no dia seguinte ao incidente.

Além disso, num segundo vídeo, filmado já fora do avião, onde exigiam explicações ao responsável da companhia aérea que os tinha expulsado, Tamir e Mandy queixavam-se que tinham ficado sem roupa e sem fraldas ou comida para as crianças.

 

Depois desta família ter sido impedida de voltar a viajar em aviões da JetBlue, foi feita uma ação judicial contra a companhia aérea por “difamação de caráter e inflação de sofrimento emocional”, segundo o advogado do casal.