Três membros da tripulação «bateram no teto», quando um avião da EasyJet encontrou forte turbulência num voo realizado, na segunda-feira, sobre a Itália. Uma das assistentes de bordo sofreu mesmo uma fratura da anca.

De acordo com o jornal britânico «The Independent», o aparelho, que saiu do aeroporto londrino de Gatwick, tinha como destino a cidade italiana de Nápoles, mas o comandante decidiu alterar a trajetória de voo e aterrar em Roma, de modo a evitar a ocorrência de relâmpagos perto de Nápoles. O avião, que tinha 154 passageiros a bordo, foi depois sacudido por forte turbulência.

Lucy e David Westbrooke, recém-casados que iam de lua-de-mel para Nápoles, afirmaram ao «London Evening Standard» que a experiência foi «aterradora».

«Foi aterrorizador. Uma assistente de bordo disse que foi, de longe, o pior que já lhe aconteceu», referiu Lucy Westbrooke. «Mergulhámos de cabeça. Toda a tripulação de cabine bateu no teto», acrescentou o marido.

Um porta-voz da EasyJet sublinhou que «a segurança e o bem-estar dos nossos passageiros e da tripulação é a maior prioridade da EasyJet» e garantiu que os pilotos são «altamente treinados» para lidar com a turbulência.

«Infelizmente, devido a uma turbulência, um elemento da nossa tripulação sofreu uma lesão, e como tal foi atendido por paramédicos na chegada ao aeroporto Fiumicino em Roma, de acordo com os nossos procedimentos», acrescentou o mesmo porta-voz.

«O avião aterrou em segurança e de forma rotineira e todos os passageiros desembarcaram normalmente e foram transportados para Nápoles de autocarro. A EasyJet gostaria de pedir desculpas aos passageiros por qualquer inconveniente causado», rematou.