«Ninguém no avião ouviu nada e ninguém sabia porque estávamos a mudar de rota. Apenas nos disseram que estava tudo bem e que não havia qualquer tipo de perigo», conta o passageiro, Marty Collins. 

Quando o bagageiro não identificado saiu do porão (onde foi exposto a altas pressões e elevadas temperaturas) explicou às autoridades que tinha adormecido. Apesar de aparentemente bem foi transportado para o hospital onde fez exames de saúde e testes de substâncias psicotrópicas.

 A ausência do trabalhador foi sentida, durante a reunião de equipa, pelo chefe do grupo de aterragem que tentou entrar em contacto com o bagageiro, mas sem sucesso.

Depois do homem desembarcar, a viagem seguiu dentro da normalidade. No voo seguiam 170 passageiros e seis membros da tripulação.