O Presidente russo, Vladimir Putin, considerou, esta segunda-feira, durante uma conversa telefónica com seu homólogo dos EUA, Barack Obama, que as acusações de ingerência de Moscovo no leste da Ucrânia são «especulações baseadas em informações sem fundamento», informou o Kremlin.

«A Rússia sublinha que os protestos em Donetsk, Lugansk, Kharkov, Slaviansk e outras cidades do sueste da Ucrânia são o resultado de falta de vontade e incapacidade de liderança de Kiev para proteger os interesses dos russos e a população que faz do russo a sua primeira língua», revelou o Kremlin, segundo a Reuters.

«Em resposta às preocupações expressas pelo Presidente americano sobre uma pretensa ingerência russa no sudeste da Ucrânia, o Presidente russo observou que tais especulações são baseadas em informações sem fundamento», indicou o Kremlin.

Segundo a Lusa, «Putin apelou a Obama para efetuar todos os esforços para não permitir o uso da força e um banho de sangue», precisou o Kremlin, que também apelou para negociações «com as principais forças políticas e as regiões» destinadas a estabelecer uma estrutura federal e uma nova constituição na Ucrânia.