O presidente russo Vladimir Putin esteve presente esta quarta-feira num concerto para comemorar o primeiro aniversário da anexação da Crimeia, na Praça Vermelha em Moscovo.

De acordo com o site presidencial, o espetáculo intitulado «Estamos Juntos», teve o propósito de «celebrar o primeiro aniversário da reunificação da Crimeia e de Sevastopol com a Rússia».

Na Praça Vermelha, Putin falou aos presentes: «Amigos, há exatamente um ano, a Rússia e o povo russo mostraram união e patriotismo ao apoiar as aspirações das pessoas da Crimeia e de Sevastopol para regressar às suas origens».

Putin referiu-se aos russos e aos ucranianos como «um único povo» e disse esperar em breve retomar as relações com a Ucrânia.

No discurso, o presidente também fez referência às sanções ocidentais impostas depois da anexação da Crimeia: «Não foram fatais, mas danificaram o trabalho que estava em curso. Mas a Rússia vai ultrapassar as dificuldades externas que nos tentam impor».

Os media russos avançam que estiveram presentes mais de 100 mil pessoas junto ao Kremlin.

A península da Crimeia tornou-se parte da União Soviética em 1917, com a Revolução Russa. Em 1991, com o fim da URSS, passou a integrar um novo território independente, a Ucrânia.

A 16 de março de 2014, um referendo indicou que 95% da população da Crimeia queria tornar-se parte da Rússia. Apenas dois dias depois, Putin anexou o território, até então da Ucrânia.

Dos conflitos resultaram mais de 6 mil mortos e 1 milhão de refugiados.

O ato foi condenado pelas entidades internacionais que, para além de não reconhecerem a anexação, aplicaram sanções a indivíduos e nos principais setores da economia.