“Em algumas capitais falam abertamente nisso. Falam da necessidade de realizar atividades subversivas, criam as estruturas correspondentes, recrutam e preparam quadros para atos subversivos e de sabotagem e recorrem à propaganda radical”, disse, citado pelos 'media' russos.