O Presidente russo, Vladimir Putin, ordenou esta segunda-feira um reforço da segurança em todo o país na sequência de dois ataques bombistas nas últimas 24 horas e que causaram a morte a pelo menos 30 pessoas.

O reforço da segurança será feito pelo comité antiterrorista, tendo a ordem sido dada depois de os investigadores russos terem anunciado que os dois atentados em Volgogrado estão ligados entre si e foram perpetrados por bombistas suicidas.

Esta madrugada, um elétrico explodiu em Volvogrado matando pelo menos 14 pessoas, depois de, no domingo, um outro atentado suicida ter feito 17 mortos, informaram as autoridades.

Segundo a televisão russa, o elétrico - meio comum de transporte nas cidades russas - ficou completamente destruído na sequência da explosão, ocorrida às 08:30 locais (04:30 em Lisboa).

O porta-voz do Comité de Instrução russo, Vladimir Markin, confirmou ter-se tratado de um atentado terrorista, anunciando a abertura de uma investigação.

«Foi aberta uma investigação por atentado terrorista e tráfico de armas», acrescentou o mesmo responsável, em declarações às agências russas.

O ministério russo da Saúde anunciou hoje de manhã que o número de vítimas do atentado ao elétrico está em 14 mortos e 28 feridos.