As lojas na Rússia já começaram a vender um dos tradicionais artigos de consumo no país na época de Natal: o calendário oficial do Governo para 2017, em que o Presidente Vladimir Putin volta a ser o protagonista. A tradição na edição do calendário repete-se este ano também quanto ao objetivo, que é tentar retratar o sisudo líder do Kremlin de maneira afável e descontraída.

O calendário de 2016 fez furor com o Presidente russo a surgir em tronco nu em várias fotografias. Desta vez, Vladimir Putin não tira a roupa, mas volta a mostrar alguns dos passatempos favoritos, como a pesca e o esqui.

Nas fotografias, é possível ver um dos homens mais poderosos do mundo com roupa de mergulho, a andar a cavalo, vestido com trajes de esquiar enquanto segura uma criança. E se no calendário do ano passado Vladimir Putin surgia a fazer festas a um cavalo, a cheirar o ramo de uma planta ou a acarinhar um cachorro que tem ao colo, este ano aparece com um gatinho.

O correspondente da BBC em Moscovo, Steve Rosenberg, teve acesso a um destes calendários e mostrou-o no Twitter:

De acordo com o Daily Mail, em algumas das fotos, Vladimir Putin poderia ser confundido com as que aparecem nos calendários dos ex-líderes soviéticos Josef Stalin ou Leonid Brezhnev.

Em agosto, Putin é retratado a subir para uma ceifeira-debulhadora e, na legenda da foto, a falar sobre a colheita do trigo e a salientar a importância do pão para o povo russo.

O texto que acompanha a imagem de novembro, em que o presidente russo aparece como piloto de caça, refere: "O objetivo é criar o tipo de exército que irá garantir a soberania da Rússia, o respeito dos seus parceiros e uma paz estável. '

Na foto de final do ano, e numa antevisão de 2018, ano em que a Rússia vai acolher o Campeonato do Mundo de Futebol, Putin está parecido como um padrinho da máfia russa, opina ainda o Daily Mail. O texto que acompanha a fotografia pode ser de especial interesse para quem vive na Ucrânia, na Síria e para quem ocupar o cargo na Casa Branca, em janeiro.

O texto refere o seguinte: "A Rússia é uma amante da paz e um país autossuficiente. Não precisamos de territórios de outras pessoas. Não precisamos de recursos naturais de outras pessoas. Mas se formos ameaçados, estamos preparados para usar as armas de modo a garantir a nossa segurança.”