Uma peruana de 37 anos, mãe de duas meninas gémeas de três anos, é o primeiro rosto conhecido das vítimas mortais dos atentados de Bruxelas. Adelma Tapia Ruiz estava com o marido e as filhas a fazer check in para embarcar numa viagem para Nova Iorque, onde iria visitar familiares, quando um dos kamikazes se fez explodir. Ela morreu, uma das meninas ficou ferida.

O marido e as filhas só terão escapado à morte, porque se afastaram ligeiramente da mãe, momentos antes, para brincarem.

De acordo com o irmão, Adelma vivia em Bruxelas há nove anos, altura em que casou com um cidadão belga. Tinha planeado regressar ao Peru este ano.

O duplo atentado de Bruxelas, esta terça-feira, fez mais de 30 mortos e cerca de 200 feridos. Esta quarta-feira, ficou a saber-se que, pelo menos 21 dos feridos têm passaporte português.

A identidade de dois portugueses feridos já foi confirmada: é uma portuguesa, natural de Coimbra, enfermeira em Bruxelas, e André Pinto, de 27 anos. Ambos estavam na estação de Maelbeek na altura da explosão.

Léopold Hecht, o jovem estudante de Direito

Léopold Hecht ficou gravemente ferido na explosão de Maelbeek. Esta quarta-feira de manhã soube-se que não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer no hospital. Foi a própria Universidade onde estudava que o divulgou, através das redes sociais.

Cher(e)s Etudiant(e)s,J’ai l’immense tristesse de vous informer du décès de Léopold HECHT, étudiant du deuxième bloc...

Publicado por Université Saint-Louis - Bruxelles em  Quarta-feira, 23 de Março de 2016

Léopold estudava Direiro, na Universidade Saint-Louis, em Bruxelas.

"Não há palavras para descrever como é terrível o que aconteceu. Todos os nossos pensamentos vão para sua família e entes queridos ", escreveu a universidade no Facebook.

 

Léopold Hecht, ficou gravemente ferido na esplosão de Maelbeek e não resistiu aos ferimentos