As três mulheres mantidas em cativeiro durante uma década em Cleveland, nos Estados Unidos, mantiveram os diários do seu sequestro.

«Há registo do abuso sexual, de estarem trancadas em quartos escuros, da antecipação das violações, os sonhos de fugirem e se reunirem com a família, o medo de serem acorrentadas numa parede, presas como prisioneiros de guerra, as saudades das vidas que tinham, os abusos emocionais, as ameaças de morte». Um sem fim de situações que foram retratadas e que o procurador entregou no tribunal na quarta-feira, escreve a NBC.

Ariel Castro declarou-se, na semana passada, culpado de 937 crimes. Livrou-se da pena de morte, mas foi sentenciado a prisão prepétua mais mil anos.

Entretanto, a polícia também publicou a nota de agradecimento de Michelle Knight àquela força. «A vida é dura, eu estou mais forte».