Um dos mais conceituados médicos da Libéria morreu este domingo, vítima do vírus do Ébola, segundo o «The Guardian»

Samuel Brisbane é o primeiro médico da Libéria a morrer devido a um surto da doença, depois de um colega do Uganda ter morrido este mês na Libéria.

Passageiro infetado com Ébola embarca em avião

O médico, que já tinha trabalhado como conselheiro do antigo presidente do país, Charles Taylor, estava a desempenhar o papel de consultor no maior hospital do país, o centro médico John F. Kennedy, na capital Monrovia.

Depois de ter adoecido foi levado para um centro de tratamento fora da cidade, onde acabou por morrer, informou Tolbert Nyenswah, um assistente do ministro da saúde.

«A situação está a ficar cada vez mais assustadora», declarou Nyenswah, acrescentando que outro médico também está a ser tratado no centro onde Brisbane morreu.

Médico norte-americano infetado com vírus Ébola

Este fim-de-semana, soube-se que um médico americano, Kent Brantly, também foi infetado com o vírus, permanecendo numa ala de isolamento num hospital de Monrovia.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), este é o maior surto da doença alguma vez registado e já fez mais de 600 vítimas mortais.

O Ébola não tem cura e, para já, não existe nenhuma vacina para prevenir a doença cujos sintomas são a febre alta, diarreia, hemorragias e vómito.