Vinte e seis passageiros que embarcaram em Santiago, no Chile, com destino a Sydney, na Austrália, fizeram a viagem de treze horas afetados por uma gastroenterite. A companhia aérea australiana Qantas não se responsabilizou pela indisposição das pessoas uma vez que o vírus não foi transmitido no avião.

Os passageiros afetados pelo vírus - um grupo de estudantes que aparentemente viajava junto, segundo noticia o «news.com.au» - estavam doentes já antes de entrarem no avião, que levantou voo na quarta-feira.

«As pessoas estavam doentes antes do voo», referiu um porta-voz da Qantas. «Era um grupo de turismo que ingeriu comida estragada e o vírus já vinha com eles», acrescentou o responsável companhia aérea.

Um comunicado do ministério da Saúde do estado australiano de Nova Gales do Sul revelou que o grupo desenvolveu «vómitos e diarreia no avião», consistentes com sintomas da infeção que provoca a gastroenterite.

O voo foi feito num Boeing 747-400 e, de acordo com o mesmo comunicado, das 26 pessoas assistidas no local, «16 passageiros necessitaram de ser transportados para o hospital».