Três pessoas estão de quarentena no Hospital Regional de Bafatá, leste da Guiné-Bissau, como medida de prevenção do vírus Ébola, anunciou esta terça-feira o diretor da instituição.

As três «estão bem, não têm sintomas» de infeção, mas entraram no país a partir da Guiné-Conacri, país vizinho afetado pelo surto que assola várias zonas da África Ocidental.

Uma mulher está na unidade há uma semana, dois homens entraram há seis dias e todos devem ficar no hospital «durante 21 dias», prazo máximo durante o qual a doença pode surgir, referiu Mamadu Sambú, diretor do hospital.