A Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta, num relatório publicado esta terça-feira, que a epidemia causada pelo vírus do Ebola já registou 759 casos de pessoas infetadas e causou a morte a 467 pessoas, desde o surto que começou em Março na Guiné, Libéria e Serra Leoa.

Só na Guiné, foram verificados 413 casos e 303 mortes.

De acordo com a organização, há três fatores fundamentais que impedem progressos no controlo do vírus: as práticas e tradições culturais das comunidades rurais, a transmissão do vírus em áreas muito populosas e a sua propagação ao longo das áreas de fronteira entre os três países devido às atividades comerciais e sociais aí verificadas.

Na Guiné e na Serra Leoa, a OMS refere que membros da comunidade já apedrejaram profissionais que estavam a investigar o surto, escreve a CNN.

Para travar os efeitos nefastos desta epidemia, a organização refere a necessidade de «ações drásticas» e adianta que já enviou vários especialistas para o terreno.

A OMS vai-se reunir esta semana, em Accra, no Gana, com Ministros da Saúde e especialistas na prevenção e controlo da doença provenientes de 11 países africanos, incluindo os três afetados.

Os surtos do Ébola estão normalmente associados a áreas remotas, o que permite um controlo eficaz. Mas desta vez, o vírus foi identificado em cerca de 60 localidades da Guiné, Serra Leoa e Libéria.



De acordo com a CNN, há pessoas que estão a partir do aeroporto internacional da Guiné sem perceberem que têm a doença, dado que os sintomas podem demorar até 21 dias a surgir.

Conheça os números do surto do Ébola até agora



Conheça alguns factos sobre a doença