O vírus Ébola matou 40 pessoas numa zona remota do noroeste da República Democrática do Congo onde a doença está a ser «controlada», disseram na noite de sábado as autoridades congolesas.

Lambert Mende, ministro porta-voz do Governo, sublinhou que desde o início do surto foram já identificados como suspeitos ou confirmados desde 11 de agosto em Boende, localidade no noroeste do país a cerca de 800 quilómetros da capital.

O mesmo responsável salientou que nos últimos 10 dias não foi confirmado qualquer caso, considerando que o surto está a caminho de ser controlado.