O Presidente das Honduras, Juan Orlando Hernández, declarou, esta segunda-feira, o estado de emergência nacional devido à propagação do vírus do Zika, que afetou 3.700 pessoas no país desde o passado mês de dezembro.

O estado de emergência foi decretado na sessão do Conselho de Ministros, dirigido pelo Presidente Hernández, escreveu a ministra adjunta de Estratégia e Comunicação, Hilda Hernández, numa mensagem na sua conta na rede social Twitter.

A ministra da Saúde hondurenha, Yolany Batres, afirmou na segunda-feira que o país contabiliza apenas este ano 3.649 casos de infeções do vírus Zika, os quais se juntam aos 51 registados em dezembro último, quando foi detetado o primeiro caso.

No Equador, cerca de 64 mil pessoas formam “brigadas” de combate ao vírus Zika, onde foram registados 22 casos e se investigam outros 67 suspeitos, informou, esta segunda-feira, o Ministério da Saúde Pública.

As Forças Armadas juntaram-se às atividades programadas no país para combater o mosquito “aedes aegypti”, transmissor do Zika, assim como da dengue e da febre chikunguña.

Segundo a agência noticiosa Andes, 700 militares vão trabalhar na província de Guayas, a par com as “brigadas”, trabalho que começou na segunda-feira em Guayaquil, no sudoeste, com patrulhas pelas zonas consideradas de risco, onde efetuarão fumigações e informarão os habitantes sobre a eliminação de mosquitos, uso de repelentes e outras ações de cariz preventivo.


(Foto de arquivo)