As autoridades da Catalunha, Espanha, confirmaram, nesta quinta-feira, o primeiro caso de vírus Zika numa grávida, adianta a agência Reuters.

O caso foi diagnosticado na Catalunha e a paciente infetada, grávida de 13 semanas, regressou recentemente da Colômbia, um dos países afetados pela propagação do vírus.

A Direção de Saúde daquela região autónoma espanhola adianta que a mulher encontra-se em perfeito estado de saúde e que não está hospitalizada, ainda que sujeita a acompanhamento e à realização de testes médicos.

Foi também confirmado um outro caso, igualmente importado, e que faz subir para seis o número de infetados (quatro homens e duas mulheres) na Catalunha.

Em Espanha, segundo o El País, há mais dois casos diagnosticados, um em Murcia e outro em Valladolid.

As mulheres grávidas integram o grupo de maior risco devido às fortes suspeitas, ainda por confirmar, de que o vírus causa microcefalia e outras doenças congénitas nos recém-nascidos.

vírus Zika manifesta-se em sintomas semelhantes aos da gripe, como febres baixas, dores de cabeça, dores nas articulações e erupções cutâneas.  

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a doença está a propagar-se "de forma explosiva" pelo continente americano, com três a quatro milhões de casos esperados este ano, dos quais 1,5 milhões no Brasil, o país mais afetado.  

Este vírus é associado no Brasil a um aumento de casos de microcefalia, um distúrbio de desenvolvimento fetal que causa o perímetro do crânio infantil mais baixo do que o normal, o que provoca atrasos no desenvolvimento mental.