A mãe da vítima mortal de Charlottesville, na Virgínia, no passado fim de semana, afirma que não está interessada em ouvir o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Susan Bro entende que o presidente comparou a filha, Heather Heyder, aos supremacistas brancos.

Eu não falo com o presidente. Depois do que ele disse sobre a minha filha... (...) Eu vi parte da conferência de imprensa dele, na qual compara os manifestantes como a minha filha com o KKK e os supremacistas brancos", disse, à ABC.

Recorde-se que Heather Heyder tinha 32 anos e foi assassinada no sábado, quando um carro atropelou uma multidão de opositores à marcha de grupos nacionalistas e de extrema-direita. 

James Alex Fields Jr., um neonazi de 20 anos, foi detido e acusado de homicídio em segundo grau.

A mãe da vitima mortal afirmou que a Casa Branca tentou falar com ela durante o funeral da filha.

"Primeiro, não atendi as chamadas. A primeira acho que foi mesmo durante o funeral. Nem vi a mensagem."

Além da comparação entre os manifestantes e os supremacistas brancos, Trump também foi criticado por não falar diretamente com a mãe de Heather.

"Não pode livrar-se disto apertando-me a mão e pedindo desculpa. Não o desculpo."

Quando questionada se havia alguma coisa que gostaria de dizer a Donald Trump, respondeu apenas: “Pense antes de falar”.