Um oficial da polícia de Sylhet, em Bangladesh, culpou as mulheres por serem violadas. Numa entrevista à Vice News, publicada na internet no fim-de-semana, Mohammed Shahjalal Munshi afirma que as mulheres têm culpa das violações devido às roupas que vestem, estando pouco tapadas.
 
O comandante da polícia, encarregue da esquadra de Sylhet, afirmou que quando ocorrem violações, na maioria das vezes, a culpa é da mulher. Mohammed culpou ainda os filmes de Bollywood por encorajarem as mulheres a vestirem roupas «reveladoras», que as leva a serem violadas.
 


«Os meios de comunicação estrangeiros, como a televisão indiana e os filmes, são vistos pelas nossas crianças, que depois querem vestir essas roupas reveladoras», disse o polícia a Tania Rashid, repórter da Vice News. «Esse é o problema. Nós seguimos as leis e as regras islâmicas aqui. Se as raparigas se tapassem eu sentir-me-ia menos atraído por elas», acrescentou.
 
«Não é suficiente. É preciso mais do que isso», disse o polícia à repórter, que estava a utilizar um lenço, afirmando que a mulher não estava vestida o suficiente para impedir de ser vítima de violação. Tania perguntou ao polícia como é que as mulheres poderiam evitar ser violadas e o oficial não soube o que responder.
 
No entanto, o polícia não é único a afirmar que a culpa é das mulheres. Outros homens de autoridade, que a repórter entrevistou, defenderam que se as mulheres se taparem devidamente e não andarem sozinhas na rua à noite então não lhes acontece nada, mas se se vestirem de forma inadequada serão violadas e a culpa é delas.
 
«Os homens recusam-se a assumir a responsabilidade pelas suas ações. Em vez disso, escolhem culpar as mulheres. Até os homens reconhecerem que a solução para as violações começa com eles, nada irá mudar», explicou Tania.
 
De acordo com um estudo das Nações Unidas, Bangladesh tem uma das mais elevadas taxas de violação, com um em cada oito homens a admitir ter violado alguém. Normalmente as violações são feitas por grupos de homens e, muitas vezes, a mulher é morta no final.
 
Apesar de todos os casos serem reportados, de o ato ser ilegal e de o crime ser punível com pena de prisão ou até de morte, não acontece nada aos violadores, que continuam em liberdade. Tal deve-se à falta de interesse das autoridades locais para investigarem esses casos.
 
O Bangladesh não é o único país onde as autoridades alegaram que é da responsabilidade das mulheres impedirem as violações. No Reino Unido, o Serviço Nacional de Saúde lançou uma campanha, em 2007, apelando para as mulheres não beberem álcool em excesso porque poderia levá-las a serem violadas.