A atriz norte-americana Pamela Anderson admitiu ter sido sexualmente abusada em criança, quando tinha seis anos, e violada por duas vezes durante a adolescência.

Pamela, que ficou conhecida principalmente pela série «Marés Vivas» («Baywatch»), falava no festival de Cannes, durante a apresentação da sua nova fundação, a Pamela Anderson Foundation, que vai lutar pelos direitos humanos, direitos dos animais e proteção do ambiente.

Segundo o «Daily Mail», a atriz contou que não teve uma infância «fácil», pois ,ainda que tenha tido «pais que a amavam», foi abusada aos seis anos por uma babysitter.

A revelação inédita não ficou por aí, com Pamela a admitir, ainda, que foi violada aos 12 anos por um homem de 25, e alguns anos mais tarde por um grupo de sete rapazes, onde se incluía o seu namorado de secundário.

«Eu fui a casa de um amigo e o irmão mais velho dele decidiu ensinar-me a jogar gamão, o que levou a uma massagem nas costas, o que levou à violação. A minha primeira experiência heterossexual. Ele tinha 25 anos e eu 12», contou a atriz.

Sobre a segunda violação, já na altura em que frequentava o secundário, Anderson afirmou que o seu namorado da altura «decidiu que seria engraçado» violá-la em grupo com outros seis amigos. «Eu quis desaparecer», afirmou.