Os pais de uma menina que foi violada por um primo em Baghlan, no norte do Afeganistão, decidiram fazer justiça pelas próprias mãos e cortaram o nariz e as orelhas do violador depois de o terem convidado para jantar.

De acordo com o «El Mundo», os pais assumiram que tinham mutilado o rapaz depois de serem detidos pela Polícia, justificando o ato como a única maneira de fazer justiça.

Segundo a menina de 12 anos, em declarações às televisões locais, foi-lhe administrada uma substância que a adormeceu. Os pais fizeram queixa da violação e um médico que examinou a menina confirmou os abusos.

Os pais afirmam que a violação aconteceu há três meses, num dia em que a jovem estava sozinha com o primo - muito mais velho que ela - para lhe administrar um narcótico e violá-la enquanto estava drogada.

Ao terem conhecimento do crime, os progenitores planearam a vingança: convidaram o homem para jantar e, quando este acabou de comer, ataram-no e cortaram-lhe o nariz e as orelhas.

«Sou inocente», afirmou o homem no hospital.

O Código Penal afegão não considera a violação um crime e a vítima é castigada por ter tido relações sexuais fora do casamento, crime punido com penas entre cinco e 15 anos de prisão.