Cinco funcionárias de uma organização não-governamental indiana foram sequestradas e violadas por um grupo sob a ameaça de armas de fogo numa aldeia no leste da Índia.

As mulheres participavam na terça-feira numa peça de teatro que alertava para o tráfico humano no distrito de Khunti, no estado de Jharkhand, quando foram atacadas.

As vítimas apresentaram queixa na polícia. "Estamos a interrogar várias pessoas", mas até ao momento não foi efetuada qualquer detenção, indicou um responsável policial, Rajesh Prasad.

As autoridades indicaram suspeitar dos apoiantes de um movimento de autogestão de aldeias, pouco favorável à presença de estrangeiros na sua área.

Cerca de 40 mil agressões sexuais foram registadas na Índia desde 2016, mas o número real de casos poderá ser muito superior, devido ao silêncio em torno destes crimes no país.

Em 2012, a violação de uma estudante por um grupo de homens, em Nova Deli, desencadeou uma onda de indignação internacional.