Um caderno com desenhos inéditos de Vincent van Gogh (1853-1890) foi descoberto e será publicado em novembro, em vários países, anunciou esta quinta-feira a editora francesa Le Seuil.

O livro intitular-se-á "Vincent Van Gogh. Le brouillard d'Arles, carnet retrouvé" ("Vincent Van Gogh. O nevoeiro de Arles, caderno reencontrado", em tradução literal), e segundo a editora Le Seuil, "é surpreendente e fulgurante".

A editora não deu outros pormenores, nomeadamente quando foi encontrado, nem onde nem quantos desenhos inéditos contém, tendo adiantado apenas que são mais de uma dezena.

“A publicação do livro será um ato de divulgação do caderno encontrado”, disse o editor Bernard Comment, precisando que tinha conhecimento da existência do caderno "há já um ano".

O editor afirmou ao semanário Livres Hebdo que a autenticidade dos desenhos está garantida por uma série de pareceres de especialistas na obra do pintor neerlandes, e de História da Arte.

De acordo com a editora, o livro será objeto de uma "coedição mundial", através de filiais do grupo La Martinière, a que pertence a Le Seuil, e a acordos com editores associados de países como Holanda e Japão.

A obra será posta à venda um dia depois da apresentação à imprensa, em novembro, e, até essa data, ainda a anunciar, não será dada mais informação, de acordo com o comunicado da Le Seuil, divulgado esta quinta-feira.

A edição digital do Livres Hebdo adianta que o caderno de van Gogh é propriedade de um particular.