«Hoje, vários meses depois de a Ucrânia ter enviado o pedido à Interpol em março de 2014 com os argumentos e explicações preparadas pelo Ministério do Interior, o gabinete da Procuradoria-Geral e o Serviço de Segurança da Ucrânia, uma comissão especial da Interpol tomou uma decisão», escreveu Avakov, na sua página no Facebook.