O presidente da Ucrânia, Viktor Ianukovich, disse esta quinta-feira que pretende fazer uma reforma constitucional, «o mais rapidamente possível» e em diálogo com a oposição.

Essa reforma deve ser conduzida «respeitando todos os procedimentos», segundo um comunicado da presidência divulgado depois de Ianukovich ter recebido em Kiev a subsecretária de Estado dos Estados Unidos, Victoria Nuland.

Para o presidente ucraniano, «o diálogo e o compromisso» com a oposição são indispensáveis para pôr fim à crise política que se instalou no país há dois meses.

O comunicado refere ainda que «vão ser tomadas proximamente medidas para acelerar a libertação» de manifestantes detidos durante os recentes confrontos com a polícia em Kiev.

As manifestações de milhares de pessoas na Ucrânia iniciaram-se no final de novembro em protesto contra a decisão do presidente de suspender os preparativos para um acordo com a União Europeia e reforçar os laços com a Rússia.

Ianukovich vai reunir-se na sexta-feira em Sochi com o presidente russo, Vladimir Putin, cuja administração advertiu esta semana Kiev de que o prometido empréstimo de 15 mil milhões de euros pode depender das decisões a tomar pelo governo ucraniano.